14 de fevereiro de 2013

O Incrível Hulk #1 - Crítica


O Hulk atualmente é um ícone da cultura pop, conhecido mesmo entre pessoas que jamais tiveram um quadrinho nas mãos. Tal sucesso provavelmente foi muito difícil de ser notado por aqueles que leram sua estreia na HQ "O Incrível Hulk #1" em 1962.

Inegavelmente, a dupla Jack Kirby e Stan Lee foi responsável por muito (muito mesmo) do que há de melhor na Marvel hoje, entretanto a história inicial do gigante esmeralda não entra para este extenso número de acertos.

A trama criada por Lee é genérica e muito pouco verossimilhante. O Hulk surge quando o Dr. Bruce Banner vai salvar um menino (completamente idiota) que incrivelmente consegue invadir uma base militar onde são testados bombas de alto poder destrutivo. 

O resultado é que o bondoso cientista acaba exposto à radiação gama, passando a se transformar em monstro à noite . Curiosamente, o Rick Jones - o garoto estúpido - torna-se maduro depois de ser salvo e de agora em diante fica sendo a babá do doutor; mesmo em sua amedrontadora forma de gigante violento. 

A coisa é ainda mais incômoda quando o Hulk fala pois ele nada tem de besta descontrolada surgida da repressão ou algo assim. Nesta história, Lee cria uma personalidade estranha para a criatura que se expressa bem e adora falar uma frase de efeito sobre a fraqueza dos seres humanos.

A impressão é de um Hulk com atitudes meio alienígenas e não uma espécie de parte aflorada do próprio Banner; o que seria mais lógico. Simplesmente não convence!

Finalmente o grande vilão da história é um ser humano/aberração da União Soviética que tem certa crise do Patinho Feio. 

Alguns de vocês podem pensar que eu deveria considerar à época mais ingênua em que foi criada a história, mas o problema não está na simplicidade. O grande defeito é a história repleta de acontecimentos ilógicos, mal-trabalhados e protagonizados por personagens extremamente superficiais. 

A arte de Kirby também está longe da melhor forma e não consegue empolgar na trama que parece ter levado segundos para ser criada. Assim O Incrível Hulk #1 e um exemplo objetivo de HQ ruim feita por artistas bons.


(1 de 5) Ruim




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)