11 de setembro de 2012

Ladrão de Olhos: As Aventuras de Peter Nimble (Jonathan Auxier) - Crítica / Resenha


Sinopse
Peter Nimble é um jovem órfão e cego que aprendeu a sobreviver no mundo do crime. Tratado como um escravo pelo cruel sr. Seamus, todas as noites Peter é obrigado a roubar dos bons cidadãos da cidade e, durante o dia, permanece trancado em um porão, onde sonha com um futuro melhor. Até o dia em que ele rouba um objeto de um misterioso viajante - uma caixa que contém três pares de olhos mágicos. Ao experimentar o primeiro par, Peter é instantaneamente transportado para uma ilha secreta, onde ele terá uma missão especial: resgatar um povo em apuros no perigoso Reino Desaparecido! Peter Nimble, juntamente com seu fiel companheiro - um cavaleiro que foi transformado em uma estranha combinação de cavalo e gato - e com a ajuda dos olhos mágicos, embarcará em uma inesquecível aventura de capa e espada para descobrir seu verdadeiro destino. Para vocês que não conhecem nada sobre crianças cegas, saibam que dão os melhores ladrões. O que o destino reserva a uma criança cega e órfã, que usa seus dotes para roubar todo tipo de objeto de qualquer tipo de pessoa? Uma criança que dorme em um porão escuro e frio durante o dia e é obrigada a sair furtivamente à noite para cometer seus delitos e, assim, sobreviver? O que o destino reserva a um garoto de dez anos que já é considerado o maior ladrão que já nasceu? O destino, caro leitor, reserva a essa pobre criatura três olhos mágicos, que irão levá-lo a uma viagem inesquecível, na qual inimigos e estranhas criaturas estarão à espreita em lugares completamente deslumbrantes e magníficos! O destino lhe reserva um amigo que estará por perto sempre que precisar e aventuras que farão de Peter Nimble, o órfão, o cego, o pobre coitado, um dos maiores heróis que já existiu!

Atualmente parece cada vez mais difícil encontrar bons livros voltados ao público infantil, felizmente podemos destacar entre estas raridades Ladrão de Olhos que presenteia o leitor com uma boa história; daquelas com total capacidade de entreter, divertir e até transmitir mensagens  positivas aos pequeninos. 

A obra fantástica nos apresenta o jovem ladrão cego Peter Nimble que como manda o figurino tem uma vida extremamente sofrida onde é explorado por um homem extremamente cruel. Tudo muda, é claro, quando ele é levado misteriosamente para um mundo fantástico onde se descobrirá como alguém muito importante.

Fica claro que a originalidade não é bem a grande força do livro, até mesmo porque Auxier claramente não se preocupa em inovar. Graças a isso, os personagens também acabam não impressionando muito pois são um tanto genéricos; o mais destacado fica sendo o sir Tode mais pelo inusitado de sua aparência. 

Entretanto, estas críticas negativas não chegam a incomodar demais porque o livro sabe bem não ousar além de suas capacidades, ficando no terreno seguro da aventura gostosa de ler, pontuada de pequenas alegorias edificantes.

Assim, o escritor consegue fazer uma narrativa que combina bastante com seu estilo: simples e despretensioso, mas ao mesmo tempo encantador e divertido ao construir uma pequena e bela história que funciona muito bem dentro dos seus objetivos. 

Não posso avaliar a obra dentro do ponto de vista infantil com fidelidade, mas acredito seguramente que ela tem todo potencial para entreter seus filhos com qualidade e, por tabela, você.

Destaque também para a edição cuidadosa da Leya que é bem interessante com seu contraste cinzento mais escuro nas bordas; o que por si só atrai os leitores.

Ladrão de Olhos se apresenta, em resumo, como uma bonita história de superação fantasiosa ao contar a velha trajetória do herói de forma competente, divertida e cativante. O típico bom livro para crianças que parece cada dia mais escasso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)