19 de agosto de 2012

Manhã, Tarde e Noite (Sidney Sheldon) - Crítica / Resenha

Editora BestBolso (Edição Vira-Vira)

Sinopse
Descobrir o mistério da morte de Harry Stanford e quem tem direito à sua herança são os fios condutores deste novo romance de Sidney Sheldon. Rico e poderoso, com grande influência sobre diversos governos de todo o mundo, Harry Stanford é o patriarca de uma família em decadência. Logo após anunciar a intenção de modificar o testamento, ele morre em circunstâncias suspeitas. O mistério cresce quando, depois do funeral, a reunião de família é interrompida pela chegada de uma linda jovem que alega ser filha do empresário e reinvindica uma parte de sua herança.

Escrever não costuma ser tarefa fácil para a maioria, mesmo entre escritores profissionais exstem muitos que tem intensa dificuldade em concluir uma obra que seja. Esse, porém, não parece ser problema para Sheldon que encontrou uma fórmula muito bem-sucedida de criar histórias.

Manhã Tarde e Noite é mais uma demonstração desta capacidade do autor que desenvolve uma interessantíssima trama cheia de reviravoltas, mudanças de foco narrativo e personagens convincentes; tudo se ligando bem com rara felicidade.

É impossível ler um livro de Sheldon e não constatar a influência dele no modo de  narrar que se tornou célebre em Hollywood; toda a história utiliza de várias ganchos e elementos de interesse consagrados em várias produções que você provavelmente já viu. Para quem talvez não saiba, ele foi roteirista por muito tempo antes de ingressar definitivamente na literatura. 

Assim, o escritor pode ser considerado sem grande dificuldade um dos maiores nomes dos thrillers conseguindo desenvolver uma narrativa simples que funciona justamente por ser muito interessante e divertida. Para quem acha Dan Brown o supra-sumo da literatura baseada na expectativa ("eu quero saber o que vai acontecer no próximo capítulo"), saiba que Sheldon sabe fazer isso significativamente melhor.

Claro que Manhã Tarde e Noite tem lá seus problemas. O primeiro deles é inerente a proposta pois o livro sobre os filhos herdeiros do magnata extremamente escroto é limitado por natureza já que tem como grande, e única, intenção entreter. Além disso, a obra peca usando alguns simplismos na descrição dos personagens que apesar de convincentes soam esteriotipados constantemente. 

Finalmente, ainda cabe mencionar algum deslize mais específico como o desfecho de uma certa personagem que contraria toda a construção de personalidade ocorrida durante a trama. Por motivos óbvios, não direi de quem se trata.

Mesmo assim, Manhã Tarde e Noite confirma a capacidade do escritor em criar histórias instigantes sem grandes pretensões. Um livro que não deve se tornar o seu predileto, mas que certamente irá gerar horas (até poucas infelizmente) de uma leitura prazerosa com qualidade. 

Em suma, esta obra evidencia (novamente) Sidney Sheldon como um escritor excelente para recomendar a pessoas que não tem o hábito de ler, ao mesmo tempo que tem completo potencial de cativar e divertir os mais experientes. 


4 comentários:

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)