17 de agosto de 2012

Amy, Minha Filha (Mitch Winehouse) - Primeiras Impressões

Quando busco uma biografia escrita por parente da personalidade, sempre tenho a expectativa de que ela será emotiva e intimista de alguma forma. Entretanto, a impressão que tive lendo trecho de Amy, Minha Filha foi quase oposta (clique aqui para ler também).

O capítulo divulgado pela editora Record traz um estilo surpreendentemente detalhado onde o autor/pai bombardeia o leitor com várias descrições transmitidas de forma rápida e concisa. 

O narrador parece ser alguém próximo "fisicamente" a ponto de falar detalhes que qualquer outra pessoa desconheceria, mas, em compensação, passa a impressão de ser distante emocionalmente pois as sensações e sentimentos de Amy ficam praticamente ausentes na parte que li.

De forma geral, o texto é bem estruturado, mas também causa um certo incômodo quando fala coisas demais em um espaço muito curto, como se tivesse sido escrito com alguma pressa. Assim, o leitor sente que poderia haver ali um trabalho mais cuidadoso em esmiuçar determinados fatos. 

No mais, o trecho em questão se destaca justamente pela variedade extensa de informações que permite inegável aproximação no "quem foi" Amy Winehouse; objetivo das biografias de forma geral e, por tabela, da maior dos fãs que venham a adquirir.

Recomendo Para Quem:

-Quer saber mais sobre Amy Winehouse (não diga)
-Quer conhecer mais fatos objetivos e menos impressões sentimentais
-Quer ler como a grande cantora é descrita pelo pai

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)