29 de abril de 2012

Jogos Vorazes (Suzanne Collins) - Crítica / Resenha

Editora Rocco 

Sinopse
Constituída por uma suntuosa Capital cercada de 12 distritos periféricos, a nação de Panem se ergueu após a destruição dos Estados Unidos. Como represália por um levante contra a capital, a cada ano os distritos são forçados a enviar um menino e uma menina entre 12 e 18 anos para participar dos Jogos Vorazes. As regras são simples: os 24 tributos, como são chamados os jovens, são levados a uma gigantesca arena e devem lutar entre si até só restar um sobrevivente. O vitorioso, além da glória, leva grandes vantagens para o seu distrito.
Quando Katniss Everdeen, de 16 anos, decide participar dos Jogos Vorazes para poupar a irmã mais nova, causando grande comoção no país, ela sabe que essa pode ser a sua sentença de morte. Mas a jovem usa toda a sua habilidade de caça e sobrevivência ao ar livre para se manter viva. As reviravoltas do jogo e as dificuldades enfrentadas pela protagonista levam os leitores a sofrer junto com ela, enquanto descobrem um pouco sobre seu passado e seu relacionamento com Peeta Mellark, o outro tributo enviado pelo Distrito 12 para lutar nos Jogos Vorazes.


Foi lendo este livro que finalmente tive o prazer quase indescritível de encontrar finalmente a heroína dos meus sonhos, aquela que sempre busquei em todas as outras obras literárias ou não, porém, jamais me senti inteiramente agraciada, satisfeita.

Katniss Everdeen, a protagonista da trilogia Jogos Vorazes, é muito jovem ainda, 16 anos, mas é alguém que amadureceu muito cedo devido às dificuldades impostas pelo mundo em que vive, ela reúne, o que para mim são pontos fundamentais para que uma personagem criada possa ser realmente admirada, coragem, determinação, sagacidade, valores morais bem definidos e algo mais, especificamente em se tratando de personagens femininos, ela não depende de nenhuma figura masculina para tomar suas próprias decisões e nem se pauta por um amor romanceado, daqueles que estamos tão acostumad@s em ver, para lutar por aquilo que verdadeiramente acredita. Não, ela não está em busca do seu “príncipe encantado” e devido a isso todas as outras ações podem ser consideradas apenas “desculpas” para se chegar ao objetivo máximo da vida das mulheres, que é casar e procriar... hahaha... Só posso rir disso...

Bem, só tenho elogios e mais elogios para a protagonista criada pela escritora Suzanne Collins e quanto à sua obra? Neste caso o primeiro livro da trilogia cujo nome também é Jogos Vorazes? Posso dizer que o livro também não decepciona e deve agradar principalmente quem gosta da denominada Literatura Distópica, para quem o termo é novidade, vai uma explicação rápida: Distopia pode ser considerada um tipo de “antiUtopia”, ou seja, distopias são histórias em que o mundo que conhecemos tornou-se uma sociedade das mais terríveis, controladora ao extremo, manipulativa e autoritária.

Alerta de Spoilers...

É num País com tais características que se passa a história de nossa heroína, a narrativa do livro é feita em primeira pessoa pela própria Katniss, ela nos revela logo no início que seu País chamado Panem, se originou do que antes era conhecido como América do Norte, após diversos desastres naturais, como secas, tempestades, elevação do nível dos mares, houve uma guerra brutal pelo pouco de terra que restou e dessa guerra originou-se Panem, composta pela Capital e por 13 distritos, houve uma rebelião dos 13 distritos contra a Capital durante o período que ficou conhecido como Dias Escuros, porém, a Capital venceu e o Distrito 13 foi destruído e como forma de punição os tais Jogos Vorazes foram criados. 

Anualmente todos os distritos são obrigados a fornecer uma garota e um garoto, com idade de 12 a 18 anos, denominad@s tributos, para participar dos Jogos que serão acompanhados pela TV por todo o País, o objetivo é que esses jovens lutem entre si até a morte, o vencedor ou a vencedora, além de tornar-se ric@, conquista prêmios para seu respectivo distrito, o que inclui principalmente comida.

Bem, não quero estragar o prazer de quem ainda irá ler este livro contando muito detalhes, então, vou falar rapidamente sobre alguns/mas personagens e fatos importantes.

Katniss tem uma irmã caçula chamada Prim de 12 anos por quem ela dedica um afeto mais do que especial, depois da morte do pai de ambas num acidente nas minas de carvão, quando Katniss ainda tinha 11 anos, a mãe delas entra num tipo de estado de choque e Katniss se vê obrigada a assumir os deveres de cuidar e manter sua família, elas são muito pobres e se não fossem habilidades de caçadora de Katniss aprendidas ainda com o pai, elas não teriam como sobreviver.

Katniss tem um melhor amigo que também é seu companheiro nas caçadas, o nome dele é Gale, alguém em que ela verdadeiramente confia. 

É sabido tanto por causa do filme, no qual Katniss é interpretada excelentemente pela ótima Jennifer Lawrence, quanto por todo o sucesso e estardalhaço que este livro está fazendo em diversas mídias, que Katniss toma o lugar da irmã mais nova para participar dos Jogos Vorazes, a partir disso entramos em contato com outr@s personagens dignos de menção, Haymitch Abernathy, é o único representante vivo (fora ele só existiu mais outra pessoa) do Distrito 12 a ter ganhado os Jogos e como tal, sua função é ser mentor dos tributos escolhidos anualmente. 

Peeta Mellark é o tributo masculino escolhido ao lado de Katniss. Caberá ao relacionamento entre ambos, grandes momentos de emoção durante toda a trilogia e também irá causar certa confusão quanto à relação que Katniss tem com Gale.

Já na Capital, Katniss conhece Cinna, seu estilista, grande responsável pelo sucesso que ela consegue junto ao público da Capital, para o qual verdadeiramente os Jogos são realizados, tais pessoas têm uma vida completamente diferente dos habitantes dos Distritos, elas não precisam se submeter às mesmas condições precárias, muito pelo contrário, elas esbanjam tanto em roupas, moda extravagante, quanto em comida das mais diversas e em enormes quantidades, é um mundo completamente diferente daquele de privações extremas vivenciado nos Distritos.

E é esse o grande tema desta obra, Suzanne Collins foi muito feliz em abordar as injustiças cometidas por esse País “fictício”, pessoas que se divertem em detrimento do sofrimento e pobreza de outras, violência abjeta e insana que se aproveita de crianças e jovens para um espetáculo cruel, o controle do Estado utilizado para humilhar e amedrontar quem tiver ao menos a audácia de tentar se impor da forma que seja.

Este primeiro volume ainda nos leva para a arena em que os Jogos vão realmente acontecer, acompanhamos Katniss e Peeta, lutando por suas vidas e nos desesperamos, nos emocionamos, é uma história que envolve do início ao fim, eu não consegui me desgrudar do livro, devo ter terminado em apenas dois dias e fazendo certo esforço para que durasse um pouco mais, também já li o segundo e estou terminando o terceiro, ou seja, só posso dizer que vale muitíssimo a pena.

Para mim além de ser um excelente exemplar de Literatura Distópica, que inclui livros como: 1984 de George Orwell, Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley e Fahrenheit 451 de Ray Bradbury, só para citar os que vieram à minha cabeça agora, Jogos Vorazes é feminista, a autora pode nem ter escrito o livro com tal intenção, mas foi o que ela fez, criou uma das melhores personagens femininas de todos os tempos, então só posso acrescentar o seguinte: Katniss Everdeen é a heroína com a qual sempre sonhei! Obrigada Suzanne Collins. 




4 de 5 (Muito Bom)



Um comentário:

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)