29 de janeiro de 2012

Harry Potter e As Relíquias da Morte: Parte 2 - Crítica


Nunca é tarefa simples adaptar um livro para os cinemas com competência. A saga Harry Potter como um todo demonstrou isso acertando e errando ao longo dos filmes que se não foram brilhantes conseguiram ao menos representar bem os principais personagens e divertir os espectadores.

Entretanto, em Harry Potter e As Relíquias da Morte - Parte 1 minha impressão foi mais positiva do que de costume. Como o último livro foi dividido em 2 filmes sobrou tempo e com isso calhou a oportunidade para usar da exploração mais aprofundada dos dramas e relações complexas entre os personagens; coisa pouco vista nas produções anteriores caracterizadas pelo ritmo acelerado dos fatos que se sucediam com pressa.

Porém, este primeiro filme foi tão mais lento que restou muita coisa para contar na parte 2; esta que acabou assim se diluindo numa ação ininterrupta de acontecimentos e resoluções numa correria muito incômoda que só conseguia explicar sem convencer.

Mesmo as qualidades vistas nas primeiras adaptações, como o desenvolvimento dos três protagonistas, acabou deixada de lado. Hermione, por exemplo, esteve em uma de suas piores apresentações, quase sempre surgindo para reafirmar a paixão que tinha por Rony. A intenção era clara; tentar dar um arcabouço para a relação romântica pouco (ou nada) explorada nas produções anteriores. Mas colocar tal elemento em algo que já estava superlotado corria o risco de soar forçado e apressado e foi justamente o que aconteceu.

O pior é que esta intenção de reforçar o romance dos dois acabou por resumi-los a isso. Chegando ao ponto de existirem cenas onde Hermione age no melhor estilo "namorada orgulhosa" da coragem do seu parceiro; o que nada tem a ver com sua personalidade.

Harry não tem muitos problemas; se mostra herói. Mas os confrontos finais não causam nenhum impacto especial ou tão grandioso como se espera. Além disso, ele não foge da superficialidade que atinge todos os elementos dramáticos do filme que apenas é ação sem profundidade, onde várias mortes importantes acontecem e são pouco ou nada sentidas.

Dentro do contexto de fim de saga a decepção é menor, mas ainda acontece pois o filme é de fato muito aquém daquilo que se espera de um final.

A obra, claro, ainda é divertida, tem bons efeitos especiais e é um fim que como tal sempre emociona os fãs. Para quem já viu todas as anteriores (meu caso) há um incômodo com a qualidade muito baixa, mas não tem como deixar de assistir. Agora para os que nunca viram nenhuma das produções anteriores não faz qualquer sentido conferir esta.

Ah, cabe sempre uma menção honrosa ao "envelhecimento" de 19 anos completamente risível dos protagonistas. Só Harry parece que envelheceu no máximo uns 5 anos garças ao bigode ralo e barba "por fazer" porque os outros dois ficaram praticamente idênticos.



2 de 5 (Regular/Fraco)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)