5 de dezembro de 2011

Sorriso - Devaneios Literários (Textos)


Enquanto ele a segurava pela cintura, ela mantinha o rosto em seu pescoço, escondendo seu sorriso.
Enquanto ela a abraçava, ela sorria, de olhos fechados.
Enquanto uns gritavam de alegria, ela mal conseguia manter o sorriso forçado em seu rosto.
Enquanto outros deliravam de desgosto, ela mal conseguia encaixar tanta alegria em apenas um par de lábios.

No meio de uma discussão, ela sorria.
No meio de um beijo, ela sorria.
No meio de uma despedida, ela sorria.
Mas, dessa vez, era tristeza que tentava não deixar transparecer.

Era doentio, era esquisito.
Era anormal, era uma aberração.
Ela sempre achara que nascera ao contrário, vendo o mundo sob uma perspectiva totalmente oposta.
Era pura ironia.

Não se continha:
Via desgraça, sorria.
Via felicidade, sorria.
Sorrisos ocultos, sorrisos forçados.

Sorrisos que só ela sabia sorrir.
Sorrisos que sempre procurara em outro alguém.
Sorrisos estes que, mesmo não estando estampados em sua face, eram visíveis aos olhos dos mais observadores.
Sorrisos impossíveis.

Ela só sabia sorrir.
Ela não sabia sorrir.
Ela confundia outros com seu sorriso.
Ela encantava a todos com seu sorriso.

Sorriso discreto, sorriso aberto.
Sorriso tímido, sorriso esperto.
Sorriso bonito, sorriso maroto.
Sorriso estranho, sorriso torto.

Cheia de sorrisos, ela era vazia.
Mas, oh, ninguém nunca poderia desconfiar.
Com todos seus sorrisos, com todos esses sorrisos...
Ele que a segurava e ela que a abraçava... nunca pensaram que estavam sendo enganados.






Leticia


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)