11 de outubro de 2011

Os Sete Selos (Luiza Salazar) - Resenha do Primeiro Capítulo

Primeiro é sempre bom esclarecer que isto não é uma resenha propriamente dita, aqui vou apenas dar as  impressões que tive ao ler o primeiro capítulo do romance Os Sete Selos da brasileira Luiza Salazar, futuramente talvez eu possa ler o livro e realmente fazer a crítica da obra, por enquanto só faço algumas constatações estilísticas e sobre público alvo.

Feitas as ressalvas o que se percebe logo de inicio é que a história tem como principal destaque a descrição, a autora leva bastante tempo informando detalhes de lugares e de gestos dos personagens; desde a casa da protagonista Lara Carver ao prédio imponente do seu trabalho (a divisão sobrenatural da polícia, chamada de Agência) tudo toma muito tempo com esclarecimentos de cenários, trejeitos e comportamentos.

Assim o primeiro capítulo de Os Sete Selos tem um ritmo lento em excesso que pode tornar a obra um tanto tediosa para alguns (incluindo eu), provavelmente pode ser algo até contornado adiante mas sem dúvida não é aquele livro que se destaca por arrebatar o leitor em suas primeiras cenas pois há descrições demais de coisas que merecem atenção de menos.

No que se refere aos personagens a protagonista não é explorada muito bem no primeiro capítulo mas segue uma lógica um tanto esteriotipada de mulher forte que vive em prol do seu trabalho. Da mesma forma seu chefe que é o homem rígido muito embora seja bom e responsável, este por sua vez que se contrapõe ao mesquinho Knox que é presunçoso e arrogante gostando de maltratar a agente Carver. Os arquétipos continuam se desdobrando no jovem que se dá muito bem em atividades burocráticas mas que sonha em realizar tarefas de campo e o rebelde Jason que é despreocupado e foi expulso pela sua insubordinação.

O primeiro capítulo de Os Sete Selos dá assim uma forte noção de déjà-vu apresentando diversos elementos muito similares e genéricos aos romances do gênero não imprimindo uma identidade própria.

Na questão de domínio estilístico Luiza Salazar é adepta de uma linguagem bem simples e quase coloquial, mesmo tendo lá algumas frases metafóricas nada é muito aprofundado, um modo de escrever adequado para quem gosta de muitos detalhes sem qualquer maior exigência.

Em suma o livro não mostra em seu início grandes elementos de destaque, tudo parece ter um compromisso muito forte com fatos genéricos que acabam sendo subjugados pelas descrições extensas.

Recomendo Para Quem:

-Gosta de muitos detalhes em descrições, até aqueles que são desnecessários para a maioria.
-Não tem problema em ler um livro com uma história que não seja exatamente original
-Gosta de personagens que seguem arquétipos
-Prefere livro com linguagem simples
-Gosta de livros fantásticos para jovens

Sinopse:
Lara Carver é uma jovem de 21 anos que trabalha para a Agência, um local especializado em estudar, localizar e conter fenômenos paranormais. Um evento inesperado tira Lara do conforto da Agência em Londres e a leva para Paris, onde ela descobre que uma força muito além de qualquer coisa que a Agência já enfrentou assolou a cidade à procura de um artefato milenar.
Fonte: http://www.sinopses.leialiteratura.com/2011/05/os-sete-selos-luiza-salazar.html



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)