29 de agosto de 2011

Como Conhecer Um Livro sem Ler (Resumos e Dicas)

(foto: Benito Pepe)

É estranho ler uma matéria em um site de literatura sobre como não ler, parece contraditório mas tem sua lógica na minha compreensão, primeiramente porque acredito ser bastante problemático obrigar alguém a ler sobretudo para fazer algum exercício apressado que dificilmente contemplará a obra de forma digna, segundo porque não há nenhum tipo de dica antiética aqui, na verdade são apenas alguns conselhos (até bastante óbvios para alguns) onde exponho alternativas para conhecer uma obra literária através de pesquisas.

Agora é fato que o melhor sempre será ler o livro original caso seja possível, mas ler a obra motivado apenas por pura necessidade de um teste ou um trabalho não é algo que se sustenta, portanto vale recorrer a nossa amiga de sempre, a internet e a mais alguns outros recursos para conhecer aquele clássico sem gastar horas e horas com ele.


1. Resumos Online

Para conhecermos uma obra sem a termos lido não tem muito jeito além de ler um resumo, afinal a proposta é conhecer uma versão mais breve que dê para perceber os principais aspectos referentes ao original, abaixo seguem alguns exemplos de sites que disponibilizam resumos online:








O que procurar em um resumo?

Primeiramente é bom salientar que é um resumo, portanto é necessário que ele tenha uma extensão significativa afinal por melhor que seja o poder de síntese de alguém ele jamais será capaz de condensar uma história inteira de um livro em apenas um ou dos parágrafo curtos, portanto nada de sinopse.

Outra boa dica é você sempre buscar um resumo com viés analítico, ou seja, onde o autor além de descrever a história da obra também avalie a mesma segundo critérios como gêneros, discussões, contexto social e outros detalhes implícitos no livro, pois dificilmente haverá alguma questão ou exercício que apenas pergunte algo como o desfecho de Peri e Ceci; é sim muito mais fácil que ele aponte o fato e peça uma explicação do simbolismo e de sua representação metafórica.

É sempre bom também olhar mais de um resumo afinal muitos autores podem ter boa intenção mas mesmo assim inventarem histórias ou omitirem aspectos importantes da obra (o mais comum), portanto leia o maior número de resumos que conseguir e quanto mais se repetir algum aspecto mais você ficará convencido da autenticidade.

Por último, e por sinal mais óbvio, duas pontuações. Primeiro: dê maior privilegio a sites mais confiáveis como o Guia do Estudante por exemplo, lá você sabe que o trabalho de avaliação é bem mais cuidadoso. Segundo Leia o resumo, isso mesmo, parece absurdo dizer tal coisa mas não são raras as vezes em que o interessado quer resumir o próprio resumo original.

2. Resumos escritos

Uma opção boa, porém muito escassa, são os livros que trazem resumos de obras, grande parte vem até com uma coletânea de várias obras clássicas em apenas um livro. Geralmente tais publicações costumam ser bem mais confiáveis que as disponíveis na internet, até mesmo por serem mais extensas, todavia depende bastante da qualidade da obra que você escolheu.

Outro aspecto que depõe contra os livros de resumo é o fato de que eles dificilmente serão baratos e muitas vezes podem não apresentar a obra que você precisa, o que de uma tacada só complica a vida daqueles que não podem pagar e dos outros que tem professores criativos que passam obras menos usuais.

Agora uma boa maneira de saber a história de uma obra sem lê-la é, às vezes, lê-la. Como assim? É simples, em alguns casos o livro (normalmente clássico) traz uma espécie de introdução no início onde esclarece acontecimentos, estilo e análise do escrito que virá a seguir. Infelizmente isso não é comum mas vale ir na livraria e dar aquela folheada básica procurando algum que possua a bendita análise.

3.Outras Táticas

A imaginação humana não tem limites, portanto são incontáveis as formas de conseguir conhecer um livro sem tê-lo lido. Uma das mais habituais é fazer um "Frankenstein" pesquisando trechos curtos sobre a  obra em todos os lugares possíveis. Vale perguntar ao amigo, levantar a questão no Yahoo Respostas (o que geralmente funciona mesmo), pesquisar resenhas em redes sociais de livros como o Skoob, entre outros. 

Claro que tais métodos carecem de uma confiabilidade maior, mas com uma boa dose de sorte pode ser que o não-leitor de livros consiga montar uma ideia geral que supra as necessidades existentes para a tarefa pretendida.

Outra opção muito válida é consultar trabalhos que analisem obras, geralmente eles são longos mas possuem uma abordagem aprofundada e confiável.

Mas se você não encontrar aquela tese de mestrado vale solicitar o amigo novamente (amigo é para essas coisas mesmo) que tenha escrito um texto (e recebido uma boa nota) sobre a obra, se foi com o mesmo professor então melhor ainda.

Evidentemente que você não deve copiar nada, nem resumos, nem o trabalho do seu amigo e nem o cara do Yahoo respostas, o que você pode fazer é usar o original como base para fazer seu próprio texto. O segredo é entender a ideia e reescrevê-la da sua maneira, ainda que seja no frigir dos ovos a mesma coisa dita no original o que importa é aplicar o seu entendimento sobre aquilo.

Conclusão

Bom, foram essas as minhas dicas básicas para compreender um livro sem precisar tê-lo lido como um todo, espero que tenha ajudado alguém de alguma forma, e quem tiver alguma boa dica que esqueci de mencionar pode deixar um comentário.

Lembro novamente que se possível o ideal é sim realmente ler, mas como sabemos que na prática a teoria é outra e vale utilizar outros recursos quando você não está a fim de aturar as centenas de páginas de um José de Alencar.





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)