6 de julho de 2011

Insaciável (Meg Cabot) - Crítica / Resenha



Quando terminei de ler Insaciável tive que esperar alguns dias para poder escrever a resenha. Sério, eu estava em choque! No início eu adorei o livro, a linguagem bem atual, fácil e todo o humor nos diálogos e pensamentos dos personagens que dá toda impressão da Meg Cabot, mas ai vem o meu “entretanto”, eu não gostei do final. Pronto falei, está dito! Sei que muitos vão querer me matar e discordar da minha opinião, mas fazer o quê? Eu me decepcionei com final, acredito por eu ser uma romântica incurável... E fica complicado eu explicar exatamente o motivo de eu não ter gostado, senão eu acabo falando demais! Bom, na verdade, desconfio que Insaciável seja apenas o primeiro livro de uma nova série, pois achei que final ficou aberto (única dica que posso dar! Kkkk...).

Mas vamos aos fatos, Meena (que se pronuncia Mina, depois vocês vão entender por que eu estou explicando o óbvio!) já não é uma adolescente, ela tem um dom de prever as mortes das pessoas, mesmo sem querer, ela faz isso só no olhar. Como muitas das heroínas do estilo Young Adult, Meena é altruísta ao extremo, adora ser capacho dos outros e paga de vítima depois (bem típico!), ela é pessimista aos montes e cética demais para acreditar em vampiros, além disso, ela anda farta dessa tendência de tudo envolver essas criaturas: livros, filmes, séries. E agora até a novela para qual escreve quer entra nessa moda vampiresca, ela não agüenta isso, mas aceita escrever, pois ela é bem submissa e não se manifesta de forma contrária a opinião dos outros. A coisa começa ficar mais divertida quando ela conhece Lucien, o Príncipe (das Trevas! Kkk...) com características comuns aos de sua espécie: misterioso, lindo, perfeito, barriga tanquinho e tal. E adivinhem?! Ela para na dele, e ai o negócio literalmente esquenta porque há cenas de tirar o fôlego (e mais algumas coisinhas! Rsss) entre os dois! Mas como em um bom romance, há mais um candidato ao amor de Meena, Alaric, o caçador de vampiros mais sem traquejo social do mundo, ele juntamente com irmão “sem-noção” (cujas atitudes me lembram muito Jason Stackhouse) de Meena conferem uma boa dose de humor a história! O livro tem capítulos curtos tanto que no alto de suas 502 páginas ele tem 63 tópicos, que são narrados de maneira alternada entre Meena, Lucien, Alaric e até seu irmão Jon e isso dá uma visão panorâmica de todos os acontecimentos sob a ótica de cada personagem.

O fato do nome Meena se assemelhar a Mina me lembra do livro de Drácula de Bram Stoker (Mina era o nome da mocinha desse livro), obra que é citada por diversas vezes em Insáciavel; e a própria personagem principal faz associações entre o que acontece com sua vida e a obra. Mas não há somente essa alusão na história de Meg Cabot, acredito que ela deve ser aficionada por séries por que consegui identificar vários pontos onde nos recordamos de True Blood, Vampires Diaries e sem falar no cão da Meena que se chama Jack Bauer (série 24 horas) que é impagável de tão engraçado.

Meg Cabot faz uma boa sátira ao mundo dos vampiros, mas não deixa de cair na mesmice em alguns personagens dos livros deste gênero, que vale citar a própria Meena, que é uma mistura perfeita de Bella (Crepúsculo) com Sookie Stackhouse (True Blood) com direito a irmão retardado e tudo!

Um ponto mega negativo que encontrei no livro, que acredito poderá até ser passado despercebido por alguns leitores, é a conotação negativa que se tem em relação ao Brasil (pelo menos eu vi assim!). Há uma passagem durante a história onde o irmão de Lucien quer abrir filiais de suas boates de prostituição (a Concubine Lounge... Pegaram o espírito da coisa!) para empresários, e o local escolhido é o Rio de Janeiro! Não tem jeito mesmo o Brasil sempre é associado a isso! Ô fama!

Bem, mas entre altos e baixos, Insaciável é um bom livro, todavia não é o que Meg Cabot tem de melhor, nessa obra ela continua sendo cômica em seu texto bem amarrado e com boas mensagens (como: você não deve fingir ser o que não é!). Mas a verdade é que depois de tantos livros com o tema de vampiros, não sei alguém mais consegue escrever algo de novo. Valeu a tentativa Meg, entretanto para mim já chega!

Sunny kisses for everybody!

Bella


[3 de 5]


2 comentários:

  1. Eu achei o livro muito bom a resenha tá legal mas a Meg é maravilhosa e o livro é bom mesmo...

    ResponderExcluir
  2. poxa. será que eu ainda leio esse livro? ):

    ResponderExcluir

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)