11 de julho de 2011

1984 - Cinefilia Literária (Coluna)


George Orwell autor do livro, de maneira premonitória, talvez, retratou nesta obra um sistema autoritário em que pessoas de forma automatizada vivem para o trabalho e se mantém num cotidiano no qual não cabem: liberdade, pensamentos autônomos e nem ao menos memórias reais, pois tudo que existe e existiu um dia, é manipulado pelo regime existente, em prol da continuidade desse controle e manutenção do poder de quem controla.

A personagem central tanto do livro quanto do filme, sendo este totalmente inspirado no primeiro, chama-se Winston Smith. Ele é funcionário do Ministério da Verdade e é responsável por “apagar” fatos passados, moldando a realidade a partir daquilo que o sistema político em vigor define.

1984 é um livro cujo enredo é deveras atual, inclusive, um dos termos empregados tão frequentemente quando se trata desse fenômeno que ainda perdura chamado “Reality Show”, é originário desta obra. "Big Brother is Watching You", é uma expressão utilizada em cartazes que aparecem espalhados pelas ruas de maneira quase onipresente, a figura mostra um homem de aspecto sério e duro olhando em direção de quem o observa, este homem, afirmam, é o líder do Partido (IngSoc) que controla todo o território denominado Oceânia.

Em resumo, a sociedade neste 1984 está vivendo sob as práticas de um regime opressor, que a tudo está atento, durante 24h por dia, por meio da chamada teletela, (algo realmente como uma TV) que nunca pode ser desligada apenas ter seu volume alterado, todas as pessoas são monitoradas e vigiadas, têm todas as atitudes analisadas e sofrem diversas restrições, então pergunto: De certa forma, excetuando-se o caso (por enquanto) da teletela, todos os outras fatores já não fazem parte de nosso cotidiano em maior ou menor grau?

Para mim não há duvidas quanto às “coincidências” existentes, a cada dia mais e mais a sociedade em que vivemos vigia nossos passos e atitudes, infelizmente, todo esse poder foi repassado por nós mesm@s e inúmer@s são as pessoas que nem chegam a si dar conta disso.

Voltando à obra, marca temerária dos nossos tempos, merece ser descoberta e principalmente refletida, não tenho ilusões quanto à modificação concreta do estado geral instalado, porém acredito que com conhecimento verdadeiro daquilo que acontece ao nosso redor podemos tomar escolhas mais acertadas e coerentes com nós mesm@s e com aqueles (as) que nos importam.

1984 pode ajudar a dar alguma “pista” a quem não faz ideia do significado real da palavra controle e maiores receios a quem há tempos percebeu a cilada que o mundo encomendou para si.


Ficha técnica:

Livro escrito por: George Orwell
Diretor: Michael Radford
Elenco: Winston Smith – JOHN HURT; O´Brien – RICHARD BURTON; Julia – SUZANNA HAMILTON; Charrington – CYRYL CUSACK; Parsons – GREGOR FISHER; Syme – JAMES WALKER
Tillotson – ANDREW WILDE; Amigo de Tillotson – DAVID TREVENA; Martin – DAVID CANN
Jones – ANTHONY BENSON; Rutherford – PETER FRYE; Walter – ROGER LLOYDE PACK
Winston em criança – UPERTBADERMAN; Mãe de Winston – CORINA SEDDOM; Irma de Winston – MARTHA PARSEY; Sra. Parsons – MERELINA KENDALL; William Parsons – P. J. NICHOLAS; Susan Parsons- LYNNE RADFORD; Prostituta – SHIRLEY STELFOX; Instrutora – JANET KEY; Big Brother – BOB FLAG; Goldstein – JOHN BOSWALL.



2 comentários:

  1. Eliz tudo que escreve é de uma clareza e profundidade incrível. Pensamento analítico constante!! A sensação e a vontade é de quando não tenho o conhecimento prévio ou não kkk, é correr pra ler ou assistir, ou mesmo again com um "óculos" 3D.
    Bju querida,
    Noemi Glasner.

    ResponderExcluir
  2. Valeu Noh, assim fico toda besta!!! hehehehehe...

    Bjos menina linda!

    ResponderExcluir

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)