18 de fevereiro de 2011

O Universo numa Casca de Noz (Stephen Hawking) - Crítica

(imagem: pianoclassico.org)
Apresentar a física ao público que se encanta mas está longe de compreender os meandros e especificidades desta intrincada ciência já foi um desafio assumido por diversos teóricos, no Brasil por exemplo temos um deles, Marcelo Gleiser, que com suas explicações simples sobre física complexa se tornou autor de livros campeões de venda e palestrante que não sai de casa por menos que gorda quantia na sua conta.

Stephen Hawking porém é hoje em dia o mais conhecido de todos estes autores, acima de tudo porque além de ser um divulgador é um dos mais importantes astrofísicos (senão o mais importante) da atualidade.

Em "O Universo numa Casca de Noz" Hawking vai fazer exatamente aquilo que é dito acima, ou seja, tentar "traduzir" a ciência para o leitor leigo. 
Em questão de linguagem realmente não há qualquer problema de compreensão, é evidente o esforço do autor em deixar todos os conceitos acessíveis através de terminologia escolhida cuidadosamente para não afugentar os leitores mais temerosos ao não entendimento.

Outro recurso ao qual Hawking vai se debruçar é o das narrativas e pequenos contos metafóricos, seguindo a antiquíssima idéia de que não há nada melhor que um paralelo para tornar o aparentemente confuso e complexo em algo claro e razoável.

Por fim existem as imagens, em grande parte das páginas do livro vemos ilustrações e mais ilustrações que ajudam a desmistificar um conceito, até uma outra cuja maior finalidade é tornar o livro menos cerimonioso.

Tudo seria muito lindo não fossem um detalhe muito importante, existe uma razão para o autor precisar recorrer a todas essas explicações e artimanhas representativas, o assunto ainda é complicado e isso é sentido. 

Por mais que  Hawking use dos termos menos complicados que ele conhece ainda assim a compreensibilidade está longe de ser plena, o livro exige muita atenção, e se o leitor não compreende bem algo exposto em um capítulo e "salta" para outro correrá sério risco de não entendê-lo também, pois muitos dos conceitos necessitam das explicações dadas anteriormente.

A impressão sentida pode ser comparada a tentar explicar para alguém que nunca viu um computador na vida o conceito de internet, por mais que eu evite todos os termos específicos da rede mundial ainda assim será difícil que aquela pessoa que ignora essa tecnologia entenda o que isso significa.

As imagens que ajudam a elucidar, também não estão livres de problemas, elas incomodam aqueles acostumados a todo o potencial dos infográficos atuais pois parecem um tanto quanto datadas, mostrando figuras de cores excessivas e objetos pouco trabalhados. 
Além do mais elas nem sempre estão nas páginas onde a teoria está descrita obrigando ao leitor a incômoda tarefa de ter de "procurar" onde elas estão interrompendo as explicações no meio.

Mas a obra é muito importante, primeiro porque explica conceitos complexos a iniciantes, mesmo necessitando de um esforço maior que o convencional aos não familiarizados pode-se compreender (com um certo esforço) quase tudo que está ali transcrito. Segundo que o livro é uma introdução muito interessante ao pensamento dos físico para todos os cientistas da área que não o conheçam, esses que aí sim não terão maiores problemas de entendimento.

"O Universo numa casca de Noz" é isso, uma obra recheada de conceitos importantes e boas intenções, porém a pretensão de ser algo literário não vai longe  pelo pouco domínio artístico-narrativo do autor, já o objetivo de traduzir a física também não é plenamente alcançado pois Hawking quer dizer muito com poucas palavras simples e quem costuma entender com pouco é porque já sabe muito. 

É um livro há ser garimpado, pois tem muito a oferecer mas sofre sensivelmente quando a tarefa é transmitir.




Ewerton Gonçalves

2 comentários:

Comente e Dê sua Opinião Sobre O Tema.

Lembrando que qualquer opinião com boa educação é muito bem-vinda, mas ofensas são excluídas.

(obrigado pela visita, volte quando puder)